.

You are always trying to keep it real
I'm in love with how you feel
I don't see what anyone can see, in anyone else
But you

(The Moldy Peaches - Anyone Else But You)

É engraçado ver as voltas que a vida dá. Perceber que de um momento para o outro tudo muda, tudo acaba e no final de contas nós não somos mais que nada. Vazios. Frágeis. Efémeros.

Uma rapariga da minha escola teve um acidente de mota à cerca de dois anos. Uma coisa realmente estúpida. Assustou-se com uns cães e caiu da mota abaixo... A verdade é que neste momento ela esta numa cadeira de rodas, sem a certeza se algum dia vai poder voltar a andar, logo ela que amava correr, dançar, que vivia o movimento. Não foi fácil para ninguém. Nem para ela, nem para a família, amigos e até conhecidos. Contudo, e mesmo que seja difícil imaginar, ela é a pessoa mais forte que eu conheço. Não a vejo sem ser com um sorriso nos lábios, nunca a ouvi queixar de nada, fala abertamente sobre o que a afecta e não estremece sequer.
E depois há aquelas pessoas, como eu, que se queixam por coisas insignificantes, que fazem da banalidade um drama e que não têm a mínima razão para isso. Eu chorei porque não conseguia encontrar um vestido para o baile de finalistas, mas o meu vestido vais custar tanto como o salário mensal de algumas pessoas. Eu chorei porque a minha mãe me respondeu mal, mas há muitas crianças que são mal-tratadas e exploradas pelos pais. Eu chorei porque me sinto gigante, mas há milhões de seres vivos que não têm o que comer. É ridículo! Pura e simplesmente. Mas pior que isto é saber que sou assim e não conseguir mudar. Sinto-me pequenina. Há uma imensidão de mundo e de vidas lá fora e eu fecho-me na porra do meu mundinho minúsculo, a chorar os meus problemas, quando todos os dias milhares de pessoas sofrem só porque nasceram no local errado...

E às vezes eu pergunto-me, sim, às vezes, quando sou atacada por acessos de consciência, quando não estou demasiado ocupada a dar demasiada importância a mim mesma e aos meus "problemas", porquê? Hoje eu devia agradecer por tudo o que tenho. Hoje devia aprender a dar mais valor ao que me rodeia. Mas só hoje, só mais hoje eu não sou capaz e continuo a chorar porque uma vez mais aquela no espelho não era eu.


Amo todas. Volto em breve <3

8 amores-perfeitos *-*:

Cristal* disse...

Linda, é bem preciso ver nos e o mundo que nos rodeia, abrir a janela, e saber que nós não somos os únicos a sofrer, que cada um sofre de seu mal, e que todos tem um direito a existir mesmo sendo ridículos nos nossos olhos.
Espero que consigas sair desse pesadelo.
baci*

Bubbles disse...

Esses pensamentos são recorrentes em mim. Dou graças a tudo o que tenho e às possibilidades que tenho. Colegas meus vivem em casas pequenas e sem condições, quando eu tenho um quarto decorado ao meu gosto, quentinho e com as coisas que preciso.

Pessoas nem computadores têm para fazer um trabalho e têm de o fazer nos computadores da escola.

Eu sempre disse que todos os meus complexos e pancas eram puros actos de egoísmo e pedidos de atenção. Cada vez me convenço mais que um corte que eu faça é para chamar a atenção de alguém, embora os tape e disfarce. Cada centimetro que perco é para receber comentários que goste. Tudo o que penso ou faço soa-me materialista e consumista. Associo logo às parvas das raparigas que usam purpurinas no cabelo e têm canetas com pom-pons rosa.

Compreendo-te perfeitamente e deviamos sempre agradecer o que temos. Mas esta condição que nos imposemos a nós não é má. Querer ser magra não é mau, porque é querer sentirmo-nos melhor no nosso corpo, ganhar mais confiança. Os métodos que usamos é que estão errados. E todos os sacrificios é que são desnecessários.

Espero ler mais de ti.
*

ness disse...

enquanto eu tenho momentos de consciência, as coisas a minha volta ficam mais tristes e eu mais futil e egoísta. fato.

bjo, sinto saudades.

Be Strong! disse...

nós nunca estamos satisfeitos com o que temos.. As vezes meto me nojo a mim propria, quando faço tudo para vomitar o que acabei de comer quando há pessoas que davam tudo por um prato de comida.. Mas é sempre assim. Não podemos pensar nisso a toda a hora.. Talvez tentar dar um pouco de mais valor as coisas.. Eu agradeço o que tenho, mas as vezes lá dou por mim a reclamar de tudo o que tenho e o que nao tenho mas gostava de ter.. Não há nada a fazer, o ser humano é mesmo assim, insasiável.

Bonequinha de trapos disse...

PD... existe uma frase que não me recordo bem como é mas que diz algo do género: Os teus problemas são os teus problemas, não os deves inferiorizar só pq há alguém em piores condições que tu.
É bom olhar para o mundo em vez de nos concentrarmos no nosso proprio umbigo mas...lá por teres o que comer e o que vestir não quer dizer que tenhas obrigatóriamente de viver a sorrir só porque outras pessoas não têm...

E olha...o meu numero não mudou se precisares falar, ok?

beijinhi

Cacau disse...

Oi linda, adorei seu blog!!!
Que tudo de certo para vc...
Se quiser dar uma passadinha no meu blog.

Beijus

Eleanora disse...

Percebo perfeitamente esse acesso de consciência, no entanto, tens que encontrar um balanço relativamente saudável com com a comida e agradeceres por a teres, porque tal como disseste, existem milhões de pessoas a morrer à fome, ao mesmo tempo que respiramos, não porque querem, mas porque não se conseguem sustentar para a terem; enquanto que eu, tu e muitas de nós se queixa quase por ter... Eu agradeço por ter tudo o que tenho, no entanto, sei que consigo fazer muito melhor, e esforço-me sempre por melhorar, por tentar controlar o meu problema com a comida, que inevitavelmente, é o sustento do nosso organismo, da nossa vida.

Não te sintas fútil, acredita que se o fosses, não terias este tipo de pensamento e consciência. Pensa apenas, encontrar aquele tal ponto de equilíbrio, com o qual consegues viver e suportar, é o que estou a tentar fazer também.

Beijinho *****

Violet disse...

"E às vezes eu pergunto-me, sim, às vezes, quando sou atacada por acessos de consciência, quando não estou demasiado ocupada a dar demasiada importância a mim mesma e aos meus "problemas", porquê? Hoje eu devia agradecer por tudo o que tenho. Hoje devia aprender a dar mais valor ao que me rodeia. Mas só hoje, só mais hoje eu não sou capaz e continuo a chorar porque uma vez mais aquela no espelho não era eu."

Sinto isto muitas vezes. Temos (pelo menos eu tenho) praticamente tudo para ser feliz e mesmo assim conseguimos arranjar problemas em nós própriaa. Visto assim é ridiculo, não é? Mas faz todo o sentido.. E deixar isto parece impossível, faz parte de mim. Enfim. Vou-te linkar :) *

Enviar um comentário

SMILE ;D

 

Design in CSS by TemplateWorld and sponsored by SmashingMagazine
Blogger Template created by Deluxe Templates